FERIADO - SEGUNDA-FEIRA, 19 DE NOVEMBRO DE 2012

SP: No feriadão, Rua 25 de Março tem cara de dia útil



Público em busca de presentes e enfeites de Natal lotou vias da região e causou reflexos no trânsito

Feriado com cara de dia útil em São Paulo. Uma multidão travou ontem todos os acessos ao centro em uma busca antecipada por presentes de Natal. Chegar à Rua 25 de Março ou às vias lotadas de lojas do Brás, por exemplo, exigiu paciência dos motoristas. O reflexo no trânsito era percebido antes das 9h em todas as avenidas e ruas próximas. Houve congestionamento da Marginal do Tietê às Avenidas 23 de Maio e do Estado.
Muitas pessoas vieram de fora para fazer compras durante o feriado prolongado - Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão
Muitas pessoas vieram de fora para fazer compras durante o feriado prolongado

Quem decidiu cortar o caminho pelos bairros também enfrentou lentidão. Para muitos, o jeito foi seguir a pé. Por volta do meio-dia, a Avenida Senador Queiróz era um verdadeiro calçadão. Dos dois lados, consumidores faziam a rota entre a 25 e o Mercadão, que também ficou intransitável. Os comerciantes comemoraram. Na Feira da Madrugada, que costuma fechar as portas na hora do almoço, o horário foi estendido até o meio da tarde. E a previsão para hoje é de mais faturamento.

Muita gente veio de fora passar o feriado em São Paulo e aproveitou para fazer as compras. A funcionária pública Inês Paro, de 58 anos, viajou com duas amigas de Sumaré, interior do Estado, para fazer compras de presentes e de objetos de decoração. Como ela, a vendedora Cintia Dagrella, de 32 anos, veio com a família de Blumenau (SC) passar alguns dias na casa da família e estava com a sogra fazendo as compras de Natal. A vendedora Eliane Lima, de 33 anos, foi com as duas para acompanhar, mas não resistiu. "Já gastei o que não podia."

A vendedora Luciana Brito, de 33 anos, foi com a cunhada e a sogra comprar presentes de Natal para as crianças. "Eu achei que ia estar vazio, por causa do feriado. Está difícil de andar com elas nessa multidão de gente", disse ela, tentando segurar as duas filhas e uma sobrinha.

A fisioterapeuta Mara Pereira Pinto, de 48 anos, foi levar as irmãs de Ilha Solteira (SP) e a Sobrinha de Três Lagoas (MS) para comprar assessórios para as festas de fim de ano. Exausta, ela sentou no banco de um dos camelôs da calçada para descansar. "Estamos aqui desde as 13h30, eu não imaginava que estaria cheio assim."

Caminho inverso. Houve também quem deixou o litoral, que atraiu muitos paulistanos no feriado, para vir para a capital fazer compras e passear. A nutricionista Mariana Bechelli, de 25 anos, veio de Itanhaém fazer compra de roupas e assessórios para vender.

Duas primas dela, Janaína Campos, de 23 anos, e Carolina Oliveira, de 19, vieram para comprar bolsas e bijuterias. Elas optaram por fazer um bate e volta: vieram pela manhã e voltaram na noite de ontem para São Vicente. Questionadas sobre o motivo de não terem ficado na praia durante o feriado, elas foram rápidas. "Não tinha nem sol."

Fonte: Estadão


publicidade

Comentários para: "SP: No feriadão, Rua 25 de Março tem cara de dia útil"


Os comentários não representam a opinião da AFAM; a responsabilidade é do autor da mensagem.


"A Associação da Família Policial Militar" • Rua Dr. Gabriel Piza, 425 - Santana | São Paulo/SP | CEP 02036-011 | Fone - (11) 3328.1500 - Fale conosco